segunda-feira, agosto 20, 2007

Compensações - feita por Gabriel Delitti :)

Por um lado falhei,

Malogrei e errei.

Não encontrei um modo de definir o amor.

Não o assumi como platônico masoquista ou perfeito.

Levantei os defeitos e

Matei no peito.

Sem ter este direito

De escrever desconhecido,

Surdo e corrompido.

Não alcancei a lira de Camões,

O descaso de Bocage,

o sofrimento de Vinicius

ou o sarcasmo de Drumond.

Subordinei a oração

E me perdi na multidão,

Extravasei a métrica,

Insulei a rima

Transbordei a tina

Sem auxilio de mãos

Sem animo ou guidão

Parti na contramão.

Busquei inspiração,

Não posso exaltar meu amor às mulheres

Pois estas, dotadas de sabedoria.

Esquivam-se dos meus trejeitos,

Sou singelo deleito,

Nem como enfeite

Poderia me arriscar.

Meu peito que quer sempre chorar,

Dorme omisso, procura exilo,

Sorrindo de desespero.

Meus olhos já não expressam o que pretendo

Quase perco o fôlego

Rindo dos maquiavélicos insultos.

Nem uma gota de água

Para os insalubres defuntos.

Esqueço que me padeço,

Moribundo em um berço.

Nem na natureza encontrei

Fonte de louvor

Embora estarrecido por sua beleza.

Encherguei a delicadeza

Para poder progredir.

Vejamos agora o outro lado.

Por não amar

Não consigo odiar.

Por não pregar

Nenhuma cruz vou carregar.

Viverei inquieto e

Morrerei certo

De que na poesia me deitei

As palavras abracei,

E as moedas joguei

Perdi duas em três

Mas nem assim virei freguês.

Por isso vivo assim,

Desajeitado e pouco falado

Para muitos

Passei como um cometa

Com um brilho distante e intocável.

Para alguns sei que me transformei

Virei bedel e depois rei.

Para outros perseverei,

Em afagos e bordões, corações toquei.

Admito que todos amei

Pois como já disse antes

A utopia é o bálsamo da decepção.

Ergam-se arrepiados os tambores da infelicidade que pairam sobre mim,

Pois nem o mais triste sorriso

Abala minha calma.



Gabriel Delitti
(22/04/06)

quarta-feira, agosto 15, 2007

segredo pra vocês..

É um curta-metragem. O nome, não digo.
Segredo total.
A idéia seria:
um matador amador,
matador em série,
de modelos,
um serial killer de modelos lindas,
um verdadeiro invejoso.
E se tem inveja de mulheres lindas,
é gay.
Um Serial Killer Gay de modelos.
Ele se finge de homem,
seduz as modelos,
lhes dá drogas ilícitas
e depois,
na hora da transa,
ele entra num armário e sai travestido,
pronto para matar.
Depois de matá-las,
ele as joga em um ferro velho,
longe da cidade,
precisa pegar ônibus, porque não tem carro.
E só é descoberto graças a um vale transporte coberto de sangue.



É pra ser meu futuro curta,
algo com um mix de drama,
suspense, comédia e muito sexo, drogas e passarela.



(gostaram? mas ainda é MUITO segredo ok?)

Será esse o caminho?

Hoje alguém leu de verdade a minha mão. De forma superficial, mas entendida. Falou sobre três assuntos: Vida, amor e finanças. Falou que...