terça-feira, maio 17, 2011

Passarinho

Passarinho,
te guardei na gaiola mais acolhedora;
te dei carinho, te dei comida e te dei amor.
Relutastes muito em ficar, mas parece que o tempo te mostrou que aqui é o teu lugar.
Mas, passarinho,
tens um jeito de dar medo,
quando foges em segredo, para no ouvido d'outras cantar;
depois disso, voltas correndo, com Cara de bobo, para nosso ninho.
Sempre que escuto teu canto de outras varandas,
passarinho,
eu me pego a chorar.
Nunca te passou pela cabeça,
passarinho,
que um dia eu posso não estar a te esperar?
Voa, passarinho,
vai cantar em mais outro lugar;
você tem livre arbítrio e eu não posso te segurar.
Vai, passarinho, voa,
que um dia eu vou fechar a janela,
pra você nunca mais entrar.

Um comentário:

Harold disse...

Adorei o texto. Vou reproduzí-lo no meu blog.

Beijos e vida!!!